O Que é Feminismo Negro

quinta-feira, outubro 27, 2016

Resultado de imagem para feminismo negro

Hoje eu resolvi mostrar pra vocês um pouquinho mais sobre a minha vertente dentro do feminismo, o feminismo negro ou blackfem.

Eu fiz um vídeo bem legal no canal falando sobre isso:



Porque o feminismo tem vertentes?

Bem, existe uma coisa chamada recorte de raça e classe, que significa que cada feminista precisa analisar as particularidades e excentricidades de cada pessoa, em outra palavras, cada caso é um caso e eles precisam ser analisados com muito carinho e cuidado.

O feminismo negro surgiu no Brasil no final dos anos 70, porque as mulheres negras não se viam contempladas nem pelo movimento feminista (que naquela época e ainda hoje privilegiava mulheres brancas) e nem pelo movimento negro (que tinha uma face sexista e privilegiava os homens).

Jéss espera aí, se o feminismo luta por todas as mulheres, porque as mulheres negras criaram um feminismo só delas?

bem, na verdade o feminismo não lutava por todas as mulheres, vou citar algumas diferenças mais comuns entre o feminismo que conhecemos (o chamado feminismo branco) e o feminismo negro:

- Enquanto o as mulheres brancas lutavam por: Igualdade salarial em relação ao homem, o fim da pressão da estética e padrão de beleza, ter um relacionamento aberto se assim desejar, trabalhar, ter os mesmos direitos sociais que um homem, entre outros.

- As mulheres negras lutavam por: igualdade salarial em relação a mulher branca, venda de produtos específicos para negras (todos esses produtos que temos hoje: maquiagem, cremes para o nosso corpo e cabelos são lutas feministas), ter um relacionamento, fim do trabalho forçado/escravo, ter os mesmos direitos sociais de uma mulher branca, entre outros.


Ou seja, as mulheres negras eram deixadas totalmente de lado por todos os movimentos sociais, e foi justamente daí que surgiu a necessidade de se criar um movimento que as contemplasse, o feminismo negro. Como eu disse acima, cada caso é um caso e precisamos cuidar para não englobar todas as mulheres em um só pacote, mulheres brancas tem uma vivência completamente diferente das mulheres negras e isso precisa ser analisado com cuidado, como eu mostrei nessa pequena comparação acima, as lutas das mulheres negras e mulheres brancas eram (e ainda são) muito diferentes.
Pra mostrar pra vocês que não se pode colocar todas as mulheres em um só pacote, aqui vão alguns dados e estatísticas (segundo IBGE, IPEA e OIT):


Mercado de trabalho

Em 2013, a PEC 66 foi aprovada, e as reivindicações por direitos trabalhistas que a décadas eram feitas pelas empregadas domésticas viraram lei. As mulheres negras são maioria nessa profissão (61,7%) e infelizmente mesmo com o avanço dessa Proposta de Emenda Constitucional, isso não saiu do papel e as funcionárias que ousam em exigir seus direitos muitas vezes acabam despedidas e/ou ameaçadas.
Enquanto mulheres brancas lutam para que seus salários (média de R$ 797,00) sejam iguais aos salários dos homens brancos (média de R$ 1.278,00), as mulheres negras recebem ainda menos (média de R$ 436,00). Conseguir um emprego formal, uma boa colocação e ingressar no ensino superior também são dificuldades típicas daquelas que possuem a pele negra.


Padrão de beleza, mídia e representatividade

Como eu contei no meu post sobre como eu me empoderei depois de passar pela transição, a ideia de uma mulher bonita pintada pela mídia é e sempre foi a mulher branca (cabelos lisos e loiros, magras, nariz fino, olhos claros) e por conta disso não vemos em quase nenhum lugar atrizes negras e quando tem (como já foi dito por muitas atrizes globais) elas são empregadas, escravas e/ou pobres barraqueiras. Quando uma atriz negra tem um cargo de destaque em uma novela é porque do lado da profissão vem escrito entre parênteses (negro) ou seja, se na novela das nove tem uma advogada, ele vai ser branca automaticamente, só contrataria a Taís Araújo por exemplo se estivesse escrito no roteiro (advogada negra). Entendem como o racismo é sutil aqui?


Por isso ainda hoje muitas meninas não se aceitam como são, e a representatividade é muito importante como eu disse naquele post, ver mulheres que se parecem com você faz toda diferença na sua formação como pessoa.
Bem acho que deu pra entender um pouquinho sobre as nossas lutas e um pouquinho da história, se quiser saber mais sobre o feminismo negro em textos super simples e curtos:




Espero que esse post tenha te ajudado a entender um pouquinho melhor, eu me inspirei nesses textos pra escrever esse post de forma mais didática pra vocês. Deixe seu comentário se você gostou desse tipo de post ou se tem alguma dúvida em relação aos assuntos e não deixe de me acompanhar nas redes sociais, Beijos.


Talvez você goste!

4 comentários

  1. Infelizmente isso acontece e muito, eu mesma já sofri com isso e acho um absurdo. Um movimento muito bonito, não sabia do feminismo negro e amei a ideia, que a mulher negra venha ter tantos direitos quanto as brancas.

    ResponderExcluir
  2. Esse é um assunto bem polêmico, às vezes prefiro não dar minha opinião a respeito, porque muitas vezes as pessoas não fazem questão de entender o ponto de vista dos outros, muitas vezes confundem o entender o parecer do próximo com aceitar aquilo como única "verdade"!
    Mas, gostei muito do post, muita informação legal e passada de forma bem bacana! Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Eu adorei seu post,porque até então não entendia muito sobre o assunto ,tem muita informação bem útil para entendermos algumas coisas que acontecem no dia a dia .

    ResponderExcluir